Conhecendo o V5 – Parte 2.

vampire-for-net_large

Continuando os artigos que explicam o cenário de Vampiro: A Máscara, e as mudanças feitas para a 5ª edição, vamos hoje explicar sobre os Clãs, além de abordar os Caitiffs e os de Sangue-Fraco.

OS CLÃS

Nas noites atuais seis clãs fazem parte oficialmente da Camarilla. Vejamos quais são:

Resultado de imagem para malkavianosMalkavianos – O Clã da Lua, ou Oráculos, como são chamados, são dotados de uma visão única do mundo. Se as vezes eles são enigmáticos é porque é impossível para eles expressar coerentemente a magnitude de sua visão de mundo. Eles são geralmente subestimados e incompreendidos, mas por trás de seus modos extravagantes eles possuem lampejos de gênios. Seus membros são diagnosticados com esquizofrenia, depressão, desordem compulsiva obsessiva, stress pós-traumático, etc. Eles se auto-medicam com sangue, praticam mutilações em suas vítimas, que como eles as vezes sofrem do mesmo mal, mas isso é apenas uma solução temporária. Os Malkavianos são os mais perigosos dos vampiros. Todos sofrem de doenças mentais, que as vezes se agravam depois da transformação. Assassinos frios, mentes perigosas, e um sexto sentido capaz de perceber tudo sobre sua próxima vítima.

Nosferatu – Carregam a Besta em suas faces e em seus corpos. A maldição imposta a eles é a mais cruel, e após receberem o “abraço” (transformação em vampiro) eles sofrem a mais terrível metamorfose, que dura semanas de dor e sofrimento, tornando-se um monstro dos piores pesadelos. Embora possam externamente se parecerem com monstros na aparência, o clã já deu mostras de ser mais humano e complexo psicologicamente entre todos os vampiros. São os mestres dos segredos e das informações privilegiadas.

Toreadores – Amantes da beleza e esplendor da humanidade eles são considerados os vampiros mais sensuais e belos de todos. Eles perseguem a perfeição através das artes. Eles são vistos em galerias e teatros fazendo jogos sociais e se envolvendo com a vida dos mortais como nenhum outro clã. Sua sensibilidade é tão apurada que eles se tornam vulneráveis ao meio que não compartilha dos seus gostos, sofrendo de ansiedade e melancolia quando não estão cercados por beleza.

Resultado de imagem para tremere v5Tremere – Um mago hermético do século VII capturou um vampiro e realizou nele terríveis rituais em busca de vida eterna. Tremere era líder de uma cabala mágika, na qual seus membros eram obcecados por conhecimento e poder.  Ele acabou conseguindo para si a maldição de Caim, e desde então os descendentes deste mago deviam acumular conhecimento e curvarem-se a uma rígida hierarquia interna do Clã. Entretanto desde que a Segunda Inquisição invadiu e derrubou a Capela de Vienna, sede do Clã Tremere, em 2008 a linhagem como um todo ficou fraca e desunida. Hoje em dia os Tremeres vendem seus serviços como mercenários, e tentam compreender como viver com a recém conquistada liberdade.

Ventrue – Tradicionais líderes da Camarilla o Sangue-Azuis exalam majestade, poder e privilégio. Eles são educados na ideia que eles nasceram para governar (meritocracia, sabem?), e todos devem obedecê-los. Eles acreditam que são o único Clã com autoridade, controle, sabedoria e pedigree para governar os vampiros e suas cidades. Nenhum dos outros clãs conseguem rivalizar com os Ventrue nos quesitos de poder e riqueza. E eles vem mantendo-se assim através dos séculos. Os Ventrue possuem um gosto refinado e isso também vale para o sangue, e por isso eles são muito seletivos quanto a qual sangue deve alimentá-los.

Banu Haquin – Em sua maioria formada por islâmicos, o Banu Haqim é mais do que um Clã formado por assassinos que uma vez já foram usados como mercenários, caçadores de recompensas e matadores de aluguel por outros vampiros. Nos dias de hoje eles são Guerreiros da Justiça, que adotam para si um código de conduta em busca de algo, como uma vingança pessoal, manutenção da lei, seguir os ensinamentos religiosos, etc. O Clã se dividiu em dois grupos: os adoradores de Ur-Shulgi, que viraram as costas para o Islã e praticam rituais de armazenamento de sangue e diablerie (consumir o sangue de outro vampiro até a morte para saciar sua fome), e os juízes que se esconderam na fortaleza de Alamut e seguem a Ashirra que foram posteriormente convidados a entrar na Camarilla para reforçar suas fileiras depois das saídas dos Clâs Brujah e Gangrel.

Além desses clãs um grupo de vampiros pediu sua entrada na seita também alguns vampiros Lasombra.

Resultado de imagem para lasombraLasombras – Esse clã um dia foi o fundador do Sabá, seita rival da Camarilla e que provocou várias guerras contra ela em muitas cidades através do mundo. Com o ataque da Segunda Inquisição sobre os núcleos de poder dos Vampiros em várias cidades os Lasombra decidiram pedir asilo na Camarilla em busca de proteção. Mas não o Clã como um todo, apenas de maneira individual. Cada príncipe em sua cidade deverá decidir se aceita ou não aquele Vampiro Lasombra em seus domínios. Uma regra foi criada pelo príncipe de Chicago para aceitar a entrada de um pequeno grupo de Lasombra na cidade, e que vem sendo usado como modelo por outros príncipes.:

  • Cada Lasombra que desejar entrar para a Camarilla deverá sacrificar um ancião Lasombra;
  • Somente três Lasombras podem entrar na cidade;
  • Nenhum dos Lasombras tem autorização para fazer uma cria;
  • Nenhum dos Lasombras podem reivindicar território ou domínio na cidade.

Agora vamos dar uma olhada nos Clãs dos Anarquistas.

Brujah – Geralmente chamados de Ralé, são rebeldes e filósofos por natureza. Sua paixão pela humanidade é o que move suas ações. São reconhecidos por sua raiva incontrolável quando seus argumentos não são ouvidos. Uma vez foram um dos fundadores da Camarilla, rivalizando na liderança com os Ventrue, mas decidiram a abandonar para reforçar as fileiras dos anarquistas, a quem acreditam estar a razão nas disputas vampíricas atualmente.

Gangrel – Embora as vezes sejam considerados como solitários, sem interesse na política vampírica e em estar em comunidade com seus semelhantes, eles se juntam em grupos, como lobos, criando sua própria comunidade. Preferem a comunhão com a natureza, por isso é raro vê-los nas cidades nos dias de hoje. Um dia também fizeram parte da Camarilla como um clã, mas assim como os Brujah decidiram sair e apoiar a causa anarquista. Ainda é possível encontra um ou outro Gangrel servindo a um príncipe ou a primogênie de uma cidade, mas de maneira individual. A natureza da sua Besta Interior zomba deles, punindo-os com traços animais, tanto físicos quanto psicológicos, sempre que perdem o controle.

Apesar de não fazer parte oficialmente das fileiras anarquistas é comum ver os vampiros do Ministério apoiando algumas de suas práticas, embora queiram aparentar independência.

Ministério – Uma vez chamados de Seguidores de Set o Ministério é formado por pessoas religiosas ou corruptas, criminosos e marginais da sociedade, assim como auto-proclamados gurus e líderes de cultos, artistas e fraudadores. Tomando para si a ideia de alternativos da sociedade o Clã pretende liberar os fiéis das amarras de suas antigas crenças e mostrar a fé verdadeira. Inicialmente eles pretendiam pedir entrada na Camarilla, mas algo aconteceu que os Banu Haqim conseguiram primeiro, o que deixou o Clã como um todo enraivecido.

Além desses Clãs fazem parte das fileiras anarquistas dois tipos de vampiros que não são aceitos pela Camarilla, e por isso querendo ou não são considerados da seita rival. São eles os Caitiffs e os Sangue-Fraco.

Caitiffs – Caitiff é um vampiro que não pertence a nenhum clã e que não manifesta nenhuma das disciplinas do seu mestre. Nem todo Caitiff é criado de maneira acidental, ou um vampiro que foi abandonado logo após sua criação pelo seu mestre, podendo ser resultado de um “abraço” (transformação em vampiro) que deu errado. Eles não são bem vindos a sociedade vampírica, e as vezes só conseguem proteção e acolhimento entre os Anarquistas. Um vampiro que não sabe quem é seu criador ou não possui características de nenhum clã é visto como uma aberração e uma ameaça para os vampiros. Alguns vampiros são criados por seus mestres e não desenvolvem as características do seu clã, sendo expulsos e abandonados antes de serem apresentados ao príncipe e aos outros vampiros, para não envergonhar seu mestre nem gerar especulação sobre a fraqueza do seu sangue.

Resultado de imagem para sangue fraco v5Sangue-Fraco – Vampiros são definidos pela sua linhagem, que vem desde Caim segundo algumas lendas, até os dias de hoje. Geração e força do sangue, capaz de dotá-los de Disciplinas únicas (poderes) definem o vampiro. Os Sangue-Fraco são justamente o contrário disso. Eles estão tão distantes do vampiro original que seu sangue não consegue dotá-los de poder e as vezes nem das fraquezas dos vampiros. Eles não conseguem ter acesso as Disciplinas como os outros vampiros, nem se curam com facilidade, mas são imortais. Muitos também conseguem andar ao sol, comer e aparentam ser um mortal como outro qualquer, não demonstrando nem mesmo ter presas. Para a Camarilla eles são uma ameaça, um sinal que o fim está próximo. Em 2009 o Círculo Interno da Camarilla emitiu um decreto impedindo que qualquer Sangue-Fraco faça parte das suas fileiras. Todo e qualquer vampiro da 14ª geração ou menor deve ser caçado e exterminado. Não há registro de vampiros abaixo da 16ª geração. Parece que o sangue fica tão fraco que estes vampiros não conseguem abraçar nenhum mortal. Até mesmo alguns anarquistas tem restrições para permitir que um Sangue-Fraco faça parte de suas fileiras. Isso varia enormemente de cidade em cidade e como andam os conflitos entre as duas seitas. Caso os Anarquistas percebam que seu lado está em clara desvantagem em relação a Camarilla eles permitem a entrada dos Sangue-Fracos, apenas para usá-los como bucha de canhão em sua guerra.

No próximo artigo irei comentar sobre as estruturas de poder das seitas e como se organizam pelo mundo, além de falar de algumas cidades, principalmente brasileiras.

 

2 pensamentos sobre “Conhecendo o V5 – Parte 2.

    • Fui reler o Chicago by Night e está escrito lá:
      “For every Lasombra joining the Camarilla, an elder Lasombra must be presented as sacrifice”.
      Ou seja, é um ancião Lasombra mesmo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s