Especial Semana Da Consciência Negra: Zangbetos, Feiticeiros Africanos Para Seu RPG.

bfef7-21469895_10208509327085457_1550382834_n

No artigo de hoje vamos falar de uma tradição cultural africana presentes em países como Benim, Senegal e Togo. São os Zangbetos, feiticeiros que espantam o mal e protegem as populações locais. Eles serão apresentados genericamente inicialmente e depois com sugestões para adaptar para seu RPG favorito.

Os Zangbetos são os tradicionais guardiões da noite na religião iorubá do Benim e do Togo, conhecidos como os “Nightwatchmen“. Eles são altamente reverenciados e agem como uma força policial não oficial patrulhando as ruas, vigiando as pessoas, rastreando criminosos e apresentando-os à comunidade para punir. Originalmente criados para assustar o inimigo, Zangbetos passeiam pelas ruas a noite para detectar ladrões e bruxas, e para fornecer lei e ordem.

Tradicionalmente o Zangbeto usa uma fantasia que se assemelha a um palheiro. Eles são capazes de cair em um transe que, de acordo com a tradição local, permite que seus corpos sejam habitados por espíritos que possuem um conhecimento especial das ações das pessoas. No entanto a lenda iorubá diz que não há seres humanos sob o traje, apenas espíritos da noite.

Os Zangbetos eram os policiais do Benin e os principais guardiões da lei no país antes do estabelecimento da lei oficial. Dizem que eles formam uma sociedade secreta que só pode ser estritamente assistida por Zangbetos, e quando em transe dizem ter habilidades mágicas, como engolir lascas de vidro sem causar danos e assustar até mesmo bruxas. Em um transe diz-se que o Zangbeto evoca um poder que habitou a Terra muito antes do aparecimento do homem e fornece uma fonte de sabedoria e continuidade para o povo de Benin.

Apesar do culto ser predominantemente masculino é possível ver também mulheres fazendo parte do grupo, geralmente com mais de 45 anos e depois de terem tido filhos.

ZANGBETOS NAS CRÔNICAS DAS TREVAS

Aqui os Zangbetos podem ser como Caçadores que patrulham a comunidade em busca de criaturas sobrenaturais que povoam as cidades. Não precisa necessariamente estar no Togo ou em Benim, pq dentro das Crônicas das Trevas o mal está em todos os lugares e talvez por isso os Zangbetos tenham que sair de seu local de origem para proteger seu povo que está espalhado pelos cinco continentes. No Brasil isso é fácil de se adaptar, já que o número de africanos vindo desses locais durante o período de cativeiro que foram impostos pela escravidão é grande. Pode-se usar locais como Salvador, onde fiéis da religião iorubá é grande, ou mesmo nas favelas do Rio de Janeiro, onde o misticismo faz parte do cotidiano da população. Use as regras presentes no livro Antagonistas para criar seu grupo de Caçadores.

Se o mestre preferir os Zangbetos podem ser criados como Espíritos que habitam o corpo de algumas pessoas devotas da religião Iorubá que se doam para proteger seu povo. Dessa forma pode-se usar as estatísticas de espíritos presentes no livro básico do Mundo das Trevas 1ª ed.

Podemos também criar os Zangbetos como feiticeiros que se utilizam de baixa magia para fazer uso dos seus poderes. Desse modo o suplemento Second Sight seria necessário, usando-se os poderes do Vodu presentes no livro. Para aqueles que não possuem o suplemento pode-se criar os Zangbetos com poderes de adivinhação, banir espíritos e cura adaptados de feitiços de Mago: O Despertar 1ª ed.

ZANGBETOS NO MUNDO DAS TREVAS.

Os Zangbetos podem ser usados no Mundo das Trevas, conhecido como Clássico, sendo usados como oponentes dos jogadores, caso estejam jogando uma campanha de Vampiro: A Máscara ou então dos Wraiths, da mesma forma que foi explicado no tópico acima dos Caçadores. Podem ser usados também como uma das Tradições de Mago: A Ascensão, sendo um secto que se separou dos Oradores dos Sonhos.

Caso queiram saber um pouco mais sobre essa tradição cliquem AQUI e vejam um artigo publicado no site Livro dos Espelhos.

Se preferirem podem pegar algumas ideias do Secto Bata’a, magos que usam as tradições inspiradas nos cultos aos orixás, eguns e outras entidades das religiões afro-americanas, muito presentes no Brasil. O site Rage Across Brasil fez um artigo sobre eles, que pode ser lido clicando AQUI.

ZANGBETOS EM A BANDEIRA DO ELEFANTE E DA ARARA.

Aqui os Zangbetos podem ser feiticeiros que vieram para o Brasil como escravos, e mesmo no cativeiro continuam a proteger seu povo. No Brasil eles irão descobrir que existem criaturas místicas que povoam as matas e que são perigosas, os quais eles irão enfrentar. Entre essas criaturas podem estar Dragões Africanos que fugiram para o Brasil, ou Vampiros Africanos como mostrados em outro artigo publicado neste blog que pode ser lido AQUI.

Use as regras normais para construção de personagens que usam a feitiçaria do Caminho de Ifá,  usando principalmente poderes de Saúde, Proteção e Manuseio Espiritual.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s