O Planisfério De Cantino: Mistério E Espionagem Para A Bandeira Do Elefante E Da Arara.

logo1

O RPG A Bandeira do Elefante e da Arara, de Christopher Kastensmidt publicado pela Devir,  é um sucesso absoluto entre Narradores e Jogadores aqui no Brasil. Este RPG propicia aventuras em terras brasileiras durante o período colonial. Geralmente essas histórias envolvem personagens que se aventuram pelo território da recém descoberta colônia portuguesa em busca de riquezas e acabam se deparando com mistérios e criaturas mitológicas que desafiam a lógica e compreensão humana. Mas as aventuras podem também envolver outros temas, como uma boa história de espionagem e mistério, sem necessariamente ser em solo brasileiro. A proposta dessa ideia para aventura é colocar os jogadores como espiões na época das grandes navegações em Lisboa atrás de um mapa misterioso e muito valioso: O Planisfério de Cantino. Vamos a ela então.

O PLANISFÉRIO DE CANTINO

200px-ercole_i_d27este

Hércules I d’Este

Este mapa é um dos mais antigos mapas da época dos grandes descobrimentos marítimos. Apesar de ter o nome de Cantino ele foi feito por um autor desconhecido. Cantino, ou Alberto Cantino, era um espião contratado pelo Duque de Ferrara, Hércules I d’Este, que estava em Lisboa para conseguir informações das cartas náuticas dos países ibéricos (Portugal e Espanha) sobre as novas terras descobertas, já que pelo Tratado de Tordesilhas, assinado pelos dois países e confirmado pela Igreja Católica, as novas terras descobertas no mundo deveriam ser divididas apenas por estes dois países que deram início a Era das Grandes Navegações, o que gerava muita inveja dos outros reinos europeus na época. Achados posteriores mostram que Cantino espionava todas as viagens feitas por portugueses e enviava relatos para o Duque de Ferrara. Cantino era tão eficiente na sua arte de dissimulação e espionagem que conseguiu ser secretário particular do Rei D. Manuel I (1469-1521).

 

O mapa tem o tamanho de 2,18 x 1,02 metros (2,22m²) e traz a inscrição “Carta da navigar per le Isole nouam tr[ovate] in le parte de l’India: dono Alberto Cantino al S. Duca Hercole” (“Carta náutica das ilhas novamente descobertas na região da Índia: dado por Alberto Cantino ao Sr. duque Hercule”).

cantino

O mapa, ricamente detalhado e todo pintado com cores como vermelho e verde, o que demonstra seu preço elevado, já que os mapas da época eram pintados apenas com tinta preta, por que as outras cores eram muito caras, custou 12 Ducados (no jogo pode ser transformado para 12 São Vicentes, ou 12 mil réis). É o primeiro mapa que apresenta a costa do Brasil, a costa da América do Norte com a Flórida, a Gronelândia e a Terra Nova, Madagáscar, Índia, Malásia e Golfo da Tailândia. Foi a primeira vez que estão representadas num mapa as linhas do Equador e do tratado de Tordesilhas. A África está espantosamente bem desenhada, tendo em conta que só tinha sido circum-navegada por três vezes (mas a última armada – a de João da Nova- ainda não tinha regressado a Lisboa).

Sua importância se dá porque na época das grandes navegações qualquer informação cartográfica era tratada com grande confidencialidade pelos cartógrafos. A quebra de sigilo era considerada como traição ao reino e assim punida, a partir do reinado de D. João II (1455-1595), com a pena de morte, e seus detalhes indica que muitas informações privilegiadas da marinha portuguesa foram passadas para o autor do mapa que as vendeu para Cantino.

O mapa demorou dez meses para ser terminado, entre Dezembro de 1501 e Outubro 1502. Em Novembro de 1502, Cantino, já em Roma, entrega ao Duque o seu mapa encomendado. O mapa permaneceu na biblioteca do duque até 1592, época na qual a coleção é transferida pelo Papa Clemente VIII para um palácio de Modena, onde se manteve até meados do século XIX. Depois disso ele sumiu, sendo recuperado depois no final do século XIX quando Giuseppe Boni, diretor da Biblioteca Estense de Módena, na Itália, o descobriu servindo de cortina no fundo de uma salsicharia da cidade.

A AVENTURA

A aventura pode ser feita de duas maneiras. Com os jogadores sendo agentes da coroa portuguesa tentando encontrar o espião cientes de que alguém dentro da Corte está colhendo informações sobre as viagens para informar as outras nações europeias, ou então como agentes de Cantino na corte, buscando informações confidenciais para passar ao cartógrafo e receber um pagamento que dê para começarem uma nova vida.

AGENTES DA COROA

Sendo agentes da Coroa Portuguesa eles podem ser homens contratados para descobrir prováveis traidores do Rei que estão vendendo informações para estrangeiros. Coloque-os como navegadores, contratadores, comerciantes, ou qualquer outra coisa que os jogadores desejarem, que estão procurando pelos espiões a mando de um dos nobres da corte próximo ao rei, e coloque-os nas ruas de Lisboa do século XVI atrás de pistas que indiquem onde podem encontrar o cartógrafo contratado por Cantino. Lembre-se que Cantino é um fidalgo e portanto os personagens dos jogadores, por serem de classe social mais baixa, devem ter provas incontestáveis para acusá-lo de traição. Coloque também uma corrida contra o tempo. Eles precisam encontrar o traidor até uma determinada data, já que depois disso Cantino irá viajar para Roma e entregar o mapa para seu contratador.

AGENTES DE CANTINO

Jogar como agentes de Cantino também é legal. Os jogadores são navegadores ou mercenários que tem acesso a alguns mapas feitos pelos cartógrafos reais. A missão deles é reunir uma certa quantidade de mapas (a critério do Narrador) que estão espalhados em algumas casas de navegação de Lisboa e entregá-los a Cantino até uma data pré-determinada para que seu cartógrafo possa terminar o mapa. Seus inimigos nesse tipo de história serão os agentes da coroa que estão a procura de espiões. Se forem descobertos serão condenados a morte. O objetivo que os motiva é o pagamento oferecido por Cantino, que garantiria uma passagem para a nova colônia portuguesa para iniciarem suas novas vidas em uma terra que promete riquezas.

FICHA SUGERIDA DE CANTINO

Aberto Cantino, 30 anos.

CARACTERÍSTICAS: Charmoso, Desleal, Manipulador.

HISTÓRICO: Foi um representante e espião do duque de Ferrara que, a serviço em Lisboa, conseguiu obter e remeter clandestinamente a seu empregador na Itália, um detalhado mapa dos descobrimentos portugueses até à época (1502), o chamado Planisfério de Cantino.

HABILIDADES: Cartografia 2, Esgrima 3, Baganha 2, Persuasão 3, Comércio 2, Direito 2, Latim 2, Português 3, Italiano 2, Espanhol 2.

FICHA DE PERSONAGENS SUGERIDAS

Se os jogadores quiserem começar a aventura com personagens prontos, ou se isso for facilitar o trabalho do Narrador, sugiro usar as fichas de personagens encontradas no blog Filhos da Gehenna, que vocês podem baixar clicando AQUI. Convido a todos visitarem o blog e conferir mais material pronto para o RPG “A Bandeira do Elefante e da Arara”, inclusive aventuras prontas.

Sugiro particularmente os personagens abaixo, tanto para personagens dos jogadores como personagens do Narrador, precisando de pouca ou nenhuma modificação para se encaixar na premissa da aventura:

Andrade

Onofre

Nayara

Santana

Rúbio

Caroline

Borges

Murilo

Diogo

Aqui eu deixo dois props que podem ser usados na sessão. A assinatura de D. Manuel I e seu brasão.

576px-assinatura_de_d-_manuel_i-svg

442px-livro_do_armeiro-mor2c_rei_de_portugal

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s