10 Anos De Novo Mundo Das Trevas – Uma Avaliação.

o-mundo-das-trevas-logo

Por Gustavo Tenório.

MdT_Basico

A capa do livro básico.

Em 2004, a editora estadunidense White Wolf tomou uma decisão corajosa – encerrou toda a linha RPGs sobrenaturais que publicava. Com o esgotamento do poder criativo de seus autores e a comercialização cada vez menor de seus títulos, criou um evento que unia todos os livros – The Time of Judgment e deu fim a Vampiro: a Máscara; Lobisomen: o Apocalipse; Mago: a Ascensão; Demônio: a Queda; Changeling: o Sonhar; Vampiros do Oriente; Múmia; a Ressureição; e Hunter: the Reckoning.

Em agosto de 2004, a White Wolf acerta mais uma vez e lança o (Novo) Mundo das Trevas, um recomeço de toda a sua linha de RPG de Horror Pessoal. Sem uma trama central idealizada, os novos títulos ganham em qualidade e liberdade criativa – o Sistema Storytelling. Muito parecido com o Clássico Mundo das Trevas, como passou a ser conhecido o antigo cenário da empresa, este novo cenário consolida o uso dos D10 nos rolamentos de dados para testes e o preenchimento das fichas com pontos – as famosas “bolinhas”, mas implementa algumas mudanças para melhorar o trabalho dos mestres e a diversão dos jogadores.

Mas, uma fusão da White Wolf com a empresa islandesa CCP, com o objetivo de desenvolver um MMOs para o Mundo das Trevas Clássico, muda uma parte importante da indústria de RPGs. Com as finanças no negativo, a editora é obrigada a demitir boa parte dos empregados que trabalhavam na produção de títulos para o CWoD.

Um destes demitidos, Rich Thomas, que ocupava o posto de diretor criativo da White Wolf, resolve negociar os direitos de publicação dos livros de RPG com seus antigos patrões. Com o sucesso do acordo, Thomas recontrata grande parte dos egressos da WW e cria uma editora – Onyx Path, responsável pelas linhas do Novo Mundo das Trevas; Mundo das Trevas Clássico; Exalted; Scion; e Trinity Continuum.

Em mais uma decisão acertada, a Onyx Path resolve trabalhar a publicação de seus livros por meio de financiamento coletivo, garantindo a tiragem certa para seu público alvo. Para saber mais sobre os títulos lançados até o momento, basta acessar o site da empresa clicando AQUI.

Mas, deixando de História,  e passados 10 anos de lançamento de Novo Mundo das Trevas, qual é a avaliação do RPG? Fazer esta análise é o desafio das próximas linhas.

Primeiramente, o Novo Mundo das Trevas é um RPG sobre pessoas comuns que se deparam com os horrores secretos do Mundo. Os primeiros contos do livro básico: “Confidencial – Relatório do Cliente”; “Por Dentro das Sombras”; “A Verdade Nua e Crua”; “Estradas Pouco Batidas”; e “A Voz de um Anjo”, dão o tom certo de como fazer uma aventura no Sistema Storytelling. Os seres sobrenaturais não aparecem de imediato. Existe todo um caminho a ser percorrido antes de haver confronto com vampiros, lobisomens e outros inimigos. E se os antagonistas forem humanos como nós? Nos noticiários é possível ver que a maldade está presente em todos os lugares. E cada vez assume um tamanho maior….

images (24)

A capa do novo livro do Vampiro: O Réquiem.

A construção de personagens é ligeiramente diferente no Novo Mundo das Trevas. O livro básico é utilizado para a construção de qualquer ser, seja ele Changeling, Múmia, Vampiro ou Mago. Primeiro o jogador cria um personagem humano, para depois completar a ficha de acordo com o “monstro” que deseja interpretar. Mesmo assim, os autores incentivam a utilizar pessoas comuns nas crônicas e desenvolveram uma série de estímulos para que isso aconteça.

Sem entrar na avaliação das linhas publicadas pela White Wolf (e hoje editadas pela Onyx Path) e focando apenas no Novo Mundo das Trevas, é importante destacar a qualidade do material publicado e a quantidade de suplementos com temas variados que foram disponibilizados para os mestres e jogadores. Foram 25 títulos lançados para dar ideias novas e criar adversários para pessoas normais, possibilitando aos mestres uma gama ilimitada de opções. São eles (com descrição resumida):

Antagonistas – livro traz ideias de antagonistas de diversos tipos, de cultos religIosos até vírus mortais. Foi traduzido e publicado pela Devir;

Locais Misteriosos – livro apresenta locais onde o sobrenatural atua e que pode trazer grandes complicações para os personagens. Foi traduzido e publicado pela Devir;

Second Sight – livro apresenta opções para “elevar” os personagens, seja com a prática de Magia ou Poder Psíquico. Neste título também são apresentadas formas de adaptar os Mitos de Lovercraft para o Novo Mundo das Trevas. Chegou a ser traduzido, mas não foi publicado pela Devir;

Urban Legends – livro de seres sobrenaturais baseados em Lendas Urbanas;

Ghost Stories – livro com cinco histórias de Fantasmas para inspirar os mestres;

Proverbial Monsters – livro com seres sobrenaturais inspirados em mitos e lendas religiosas;

Asylum – livro descreve uma instituição para doentes mentais e serve para inspirar aventuras em hospitais e sanatórios, além de ajudar na criação de personagens com doenças mentais;

Dogs of War – livro que auxilia a criação de uma campanha com personagens militares;

Tales from the 13th Precinct – mostra como funciona o dia-a-dia de uma delegacia de polícia (estadunidense) e como os personagens policiais podem combater os seres sobrenaturais;

Innocents – livro apresenta a possibilidade de interpretar crianças. Algumas regras são adaptadas para garantir maior imersão aos jogadores;

Midnight Roads – livro que aproveita a extensão continental dos Estados Unidos e sugere alguns conflitos aos jogadores que forem “botar o pé na estrada”;

Armory e Armory Reloaded – são guias de armas e equipamentos para o Novo Mundo das Trevas;

Reliquary – apresenta formas de incluir Relíquias Mágicas nas campanhas, sejam objetos, livros ou artefatos;

Inferno – livro que apresenta uma visão de Inferno e antagonistas demoníacos a serem derrotados pelos jogadores;

Book of Spirits – apresenta os Espíritos em maior detalhe e seu mundo espiritual, chamado de Sombra;

Book of the Dead – foca no Mundo Subterrâneo e nas criaturas que habitam nele;

Immortals – livro apresenta adversários que encontraram uma forma de vencer a morte;

Changing Breeds – livro destinado aos outros licantropos, além dos lobisomens;

 Skinchangers – ligeiramente diferente dos Changing Breeds, este livro aborda os “ladrões de pele”, pessoas que aprisionam o espírito de um animal para obter suas habilidades;

Shadows of UK – livro aborda os United Kingdom (Reino Unido) e formas de criar aventuras no país. São apresentados mitos e lendas como ganchos para histórias;

Shadows of Mexico – na mesma linha de Shadows of UK, traz elementos para a criação de campanhas sediadas no México;

Glimpses of the Unknown – livro com novas ideias de campanhas para os mestres, com sugestões de aventuras para Innocents e Mirrors;

A Nightmare at the Hill Manor – livro distribuído gratuitamente durante o Free RPG Day 2011, traz uma história clássica de Mansão Mal-assombrada;

Mirrors – suplemento inovador que expande as regras publicadas no livro básico e proporciona a criação de histórias em cenários alternativos cyberpunk ou espaciais (na linha de Alien – o Oitavo Passageiro). Também apresenta inúmeras novas ferramentas para mestres.

lugares

Um dos poucos suplemento em português.

Um suplemento de Hunter: the Vigil também é incluído como livro do Novo Mundo das Trevas. Em Slasher, os personagens podem interpretar assassinos seriais. De abordagem extremamente adulta, este título chama a atenção pela ousadia na proposição deste tema.

Por todos os elementos listados acima, arrisco a dizer que o Novo Mundo das Trevas é uma das linhas de RPG mais completas e abrangentes já publicadas. Infelizmente, apenas três livros foram traduzidos para o português, o que pode afastar a maioria dos mestres na busca por estes suplementos.

Independente de gostar do Sistema Storytelling e sua resolução de conflitos, TODOS os livros apresentam ideias muito boas para os mestres e que podem ser adaptadas para qualquer RPG de Horror Pessoal. Alguns destes títulos são mais difíceis de encontrar, mas com paciência (e alguma pesquisa no google) e fácil adquirir os suplementos. Nas próximas semanas cada um destes títulos receberá uma avaliação dedicada, ajudando na escolha de qual deles comprar.

Sem relação direta com a comemoração dos 10 anos de publicação do Novo Mundo das Trevas, a Onyx Path anunciou a segunda edição do material, com revisão em alguns pontos e inclusão de regras previstas na Crônica do Deus-máquina (tema de uma próxima matéria); o financiamento coletivo Dark Eras; e um suplemento gratuito com personagens de clássicos da Era Vitoriana. Ou seja, o Novo Mundo das Trevas ainda tem muito chão pela frente.

Anúncios

6 pensamentos sobre “10 Anos De Novo Mundo Das Trevas – Uma Avaliação.

  1. Ola, sei que não tem ” relação”, mas seria possivel fazer um paralelo entre os titulos de NWOD e CWOD incluindo os dark ages? Pois ja vi varias pessoas comentarem que o Changeling : Os Perdidos tem muita ligacao com o Changeling: Dark Ages, e que inclusive o último é muito superior ao primeiro. Não acredito que esteja no cronograma,mas seria possivel abordar isso? Ou mostrar essas similaridades? Ou fugi do tema? Devo ter fugido rsrs. Adorei a matéria, foi mesmo esclarecedora em muitos pontos, realmente não sabia das vertentes de Hunter, alias, ainda querendo que Devir lance mais coisas… Especialmente de Um Anel.

  2. Chrissyalves,

    boa tarde!

    obrigado por suas considerações. Estamos aqui para atender a todos os leitores. Bom, deixe tentar responder suas perguntas.

    Na verdade, quis falar sobre o livro básico do Novo Mundo das Trevas, com foco nos humanos, e sua grande quantidade de material de qualidade publicado pela White Wolf/Onyx Path. Sempre achei que o livro básico do NWoD era meio que deixado de lado pelos Narradores e Jogadores, que escolhem jogar logo com Vampiros, Magos, Lobisomens e outros seres.

    No WoD Clássico, que começou com Vampiro – a Máscara, o Mundo das Trevas era um suplemento que mostrava a ação de vampiros em vários partes do Mundo. Suplementos voltados para jogar com humanos eram o Hunters Hunted e a linha Hunter: the Reckoning.

    André fez um texto comparando Vampiro – a Máscara com Vampiro – o Réquiem (https://ovelhinhodorpg.wordpress.com/2015/03/19/requiem-x-a-mascara-qual-e-o-melhor/) e pode te esclarecer algumas dúvidas.

    Particularmente, eu acho as linhas de criaturas do Novo Mundo das Trevas (Vampiro – o Réquiem; Lobisomen – os Destituídos; Mago – o Despertar; Changeling – os Perdidos; Promethean: the Created; Hunter: the Vigil; Demon: the Descent; Geist: the Sin-eaters; e Mummy: the Curse) mais bem estruturadas e elaboradas que suas versões antigas. Uma ou outra linha pode ter material ligeiramente inferior, mas acho que as novas versões são mais “amigáveis”.

    Principalmente porque não são subordinadas a uma história definida (o famoso Metaplot). Cada Narrador cria seu mundo particular e não precisa conhecer a informação publicada em dezenas de suplementos. Isso significa mais liberdade para campanhas e o fim dos jogadores “juízes de regras”.

    Contam contra o NWoD, no nosso caso brasileiro, o abandono da linha pela Editora Devir. Como o CWoD tem muito material traduzido, leva vantagem para quem tem pouco conhecimento de inglês.

    Minha ideia original é publicar, uma vez por semana, avaliações dos suplementos para NWoD básico. Mas, eu e André vamos produzir mais comparativos entre as linhas do Novo e do Clássico Mundo das Trevas.

    Abraços!

  3. Tenho e li o Lugares Misteriosos e o Antagonistas, e é incrível como são úteis mesmo para quem pretende Narrar outros estilos.

    A maneira como, nesses dois livros, se descreve parecendo querer simplesmente dar ideias para jogos e narrativas é muito inspirador e atrativo.

    Minha impressão é que no CWOD essa descrição mais imersiva e narrativa estava no Vampiro: A Máscara, mas foi se perdendo com o tempo nos suplementos, como se fosse crescendo a preocupação com o metaplot em detrimento da inspiração para se criar as próprias estórias.

    É uma opinião muito pessoal, mas foram impressões que eu tive, e que parecem ir de encontro com o relatado na matéria sobre o NWOD.

  4. acredite se quiser, mas só vou entrar no Novo Mundo das Trevas agora!
    mas tude me parece uma evolução natural do Clássico: mais limpe e elegante

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s